Amizade com Cristo

    Jesus com crianças
    Elder Erich W. Kopischke, Alemanha
    Elder Erich W. Kopischke, Alemanha Segundo Conselheiro da Presidência da Área da Europa

    Pouco antes do Salvador terminar o Seu ministério terrestre, encontrou-se com os Seus apóstolos. Ele sabia que estava prestes a realizar o Seu maior presente para toda a humanidade. Ele sabia que isso implicava o sofrimento no Getsêmani e a morte cruel na cruz. Sabia também que, após o Seu sofrimento, morte e ressurreição, os Seus discípulos teriam de prosseguir a missão Dele. Sabia que não bastava apenas ofertar o presente precioso da Expiação, mas que era igualmente importante para a humanidade, aceitar o Seu presente. Portanto, os Seus ensinamentos concentraram-se amplamente em como nós, Seus discípulos, podemos aproveitar ao máximo este presente.

    Um assunto que o Salvador ressaltou foi a importância de nos mantermos perto Dele. Ele disse: “Eu sou a videira, vós, os ramos;  quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

    Deixou, então, claro a maneira de como podemos ficar perto Dele, ao enfatizar: “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito … Tenho-vos dito essas coisas, para que a minha alegria permaneça em vós, e a vossa alegria seja completa. O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando”.[1]

    Cristo partilhou uma fórmula simples de como podemos aceder, no nosso dia a dia, às bênçãos da Sua Expiação e desfrutar da Sua ajuda e amizade, fazendo apenas três coisas: Crer Nele e nas Suas palavras, amar uns aos outros e guardar os Seus mandamentos.

    Hoje desejo apenas enfatizar o primeiro ponto: Crer Nele e nas Suas palavras. Quando enfrentamos desafios pessoais na vida e as coisas se tornam difíceis, será que realmente acreditamos Nele? Será que acreditamos que os Seus ensinamentos se aplicam a nós de uma maneira muito pessoal? Ele disse: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.”[2] Isaías partilhou este pensamento reconfortante: “... e assim enxugará o Senhor Deus as lágrimas de todos os rostos”.[3]

     

    Joseph M. Scriven (1819-1896) tinha 25 anos, estava apaixonado e prestes a casar. Um dia antes do casamento, a sua noiva afogou-se num trágico acidente. Desolado, Joseph partiu da sua terra natal para começar uma nova vida no Canadá. Enquanto trabalhava como professor, apaixonou-se novamente e ficou noivo de Eliza Roche, uma familiar de um dos seus alunos.

    Uma vez mais, as esperanças e os sonhos de Joseph foram destruídos quando Eliza ficou doente e faleceu antes do casamento. Embora possamos apenas imaginar a turbulência interior deste jovem, a história relata que a sua fé em Deus o sustentou.

     

    Ele nunca se casou, mas passou o resto da sua vida a dedicar todo o seu tempo, dinheiro e até as suas próprias roupas para ajudar os menos afortunados. Dedicou a sua vida a espalhar amor e compaixão semelhantes aos de Cristo, onde quer que fosse.

     

    Na mesma altura em que Eliza morreu, Joseph recebeu uma notícia da Irlanda, de que a sua mãe estava doente. Como não podia estar com ela, escreveu-lhe uma carta de conforto e anexou um de seus poemas intitulado: “Que Amigo Temos em Jesus”.

     

    Que Amigo Temos em Jesus (Melodia: Israel Jesus Te Chama)

     

    “Que Amigo temos em Jesus, que os nossos pecados e dores suportou!

    Que privilégio levar tudo a Deus em oração!

    Oh, que paz muitas vezes perdemos, que dor desnecessária suportamos,

    Só porque não levamos tudo a Deus em oração.

     

    Temos provações e tentações? Enfrentamos problemas?

    Mas conforto recebemos indo a Cristo em oração.

    Haverá um outro amigo de tão grande compaixão?

    Aos contritos, Jesus Cristo sempre atende em oração.

     

    E, se nós desfalecemos, Cristo estende-nos a mão,

    Pois é sempre a nossa força e refúgio em oração.

    Se este mundo nos despreza, Leva ao Senhor a tua oração!

    Nos seus braços nos acolhe, protege e ouve a nossa petição.

     

    Bem-aventurado Salvador, prometeste todos os nossos fardos suportar.

    Que possamos sempre, Senhor, trazer tudo a Ti em sincera oração.

    Em breve, sem nuvens e em glória não haverá necessidade de oração

    Arrebatamento, louvor e adoração sem fim, serão a nossa doce porção.

     

    Oro para que, durante a época da Páscoa, tenhamos a consciência de que Jesus Cristo é nosso amigo, pronto para consolar, ajudar e curar se crermos Nele e nas Suas palavras.

     


    [1] João 15:7, 11-14

    [2] João 14:1

    [3] Isaías 25:8